291 online
Gonçalves de Magalhães
Nasceu a 13 Agosto 1811
(Rio de Janeiro, Brasil)

Morreu em 1882
(Roma, Itália)

Domingos José GONÇALVES DE MAGALHÃES, primeiro e único barão e visconde do Araguaia, foi um médico, professor, diplomata, político, poeta e ensaísta brasileiro, tendo participado de missões ...
wer54w66sf32re2
 
O Louco do Cemitério: Poema Romântico em Seis Cantos - Canto I: O Coveiro
(...)

"Vivo co'os mortos,
Na cova os ponho,
Entre eles durmo,
Com eles sonho.
Quantos defuntos
Já enterrei!
Defunto eu mesmo
Também serei.

No pão que como,
No ar que respiro,
Na água que bebo,
A morte aspiro.
Já cheira a morto
O corpo meu.
Abre-te, oh terra,
Que serei teu.

Da morte o aspecto
Já não me assusta,
Que a vida ganho
Da morte à custa.
Sempre cavando
Sem descansar,
Vivo enterrado,
Para enterrar.

Um dia, ou outro,
Cavando o fosso,
Co'o cheiro infecto,
Cair bem posso.
Agora mesmo
Posso cair!...
Não diz a morte
Quando há de vir.

Mas os que folgam
Na excelsa Corte
Não estão mais longe
Das mãos da morte.
Cá os espera
A minha pá...
O que foi terra,
Terra será.

Quantos lá vivem
Nessa cidade
Aqui têm todos
Segura herdade.
Ricos e pobres,
Todos virão,
Dormir no leito
Da podridão.

Ternos amantes,
Pais extremosos,
Esposos caros,
Filhos saudosos,
Vêde o que resta
Do vosso amor:
Podre cadáver,
Que causa horror!

(...)


Publicado no livro Cânticos Fúnebres (1864).

In: GRANDES poetas românticos do Brasil. Pref. e notas biogr. Antônio Soares Amora. Org. rev. e notas Frederico José da Silva Ramos. São Paulo: LEP, 194

Seguinte
12 gostam
Guardar nos seus Favoritos
8 comentários
Rating
4
Visto
10053